5 fev 2016

TUDO O QUE VOCÊ SEMPRE QUIS SABER SOBRE SER AU PAIR – #UMAPERGUNTAPORVEZ

Categoria: Atividades, Au Pair is..., Cultura, Dicas

Por:

UMA PERGUNTA DE CADA VEZ.

Olá olá, maoew, hi, holá! Antes de me jogar de cabeça nessa vida de Au Pair, qualquer informação nova que chegasse até mim, me fazia vibrar de tanta curiosidade e empolgação. E as dúvidas então?! Cada dia surgia uma para acabar com a minha paz, por isso resolvi criar o quadro UMA PERGUNTA DE CADA vez aqui, onde você também pode participar me perguntando o que sempre quis saber! Para quem não sabe, existe um grupo no Facebook criado especialmente para sanar QUALQUER dúvida que qualquer pessoa tenha à respeito do programa. Abri um espaço para as meninas me perguntarem o que quiser e o resultado tem gerado perguntas muito boas. Em cada post do blog, vou tentar responder com o máximo de detalhes possíveis o que cada uma de vocês me perguntarem, certo meu povo? ENTÃO VAMOS LÁ!

“Qual a regra da sua casa, da sua família que você menos gosta? (Regra imposta pela casa, não pelo programa).” – PERGUNTA DA GABRIELLA TEIXEIRA, DE SÃO PAULO

RESPOSTA: Gabi, não sei se o fato dos meus host parents serem novos influencia nessa questão, mas eles se mostram bem abertos comigo quando o assunto é regras da casa. Até mesmo porque é MUITO IMPORTANTE você extrair o máximo de informações possíveis antes de fechar o tão sonhado match. Eu me lembro que fiz pelo menos umas mil perguntas durante o primeiro Skype que tive com a família ainda no Brasil, mas ainda assim, como é um momento onde a gente fica muito ansiosa (o), pode acabar esquecendo de perguntar uma coisa. Quando isso acontece, o melhor a se fazer é ter jogo de cintura e tentar resolver o assunto antes que ele se torne uma bola de problemas. Vou listar abaixo uma série de coisas que eu me sinto à vontade para fazer, mas que já vi algumas meninas terem problema com isso. Lá vai:

1- Posso convidar amigas para dormir em casa desde que eu avise e que eles conheçam a pessoa antes. Posso dormir fora aos finais de semana quando eu quiser. Vamos ter bom senso, seus pais brasileiros diriam o mesmo, né não?!

2- Não tenho curfew aos finais de semana. Pra quem não sabe, curfew é o horário que os hosts parents façam questão que você esteja em casa caso saia para a balada e afins. Durante a semana, eu devo estar em casa em um horário razoável para que possa descansar antes de trabalhar no outro dia, mas um horário certinho mesmo eu não tenho.

3- Posso pegar a comida que eu quiser da geladeira. Onde eu moro não tem miséria não! Inclusive, eu assalto a dispensa bonito em algumas noites.

4- Minha host não liga que eu use o celular durante o trabalho desde que isso não interfira nos cuidados que preciso ter com o bebê.

Bom, é isso Gabriella, eu sei que sua dúvida não foi respondida na exatidão que você pretendia, porém se atente para a lista acima. Como eu disse, já vi muita gente reclamando por não se sentir à vontade fazendo coisas do tipo na casa da host family.

E se você também tem uma dúvida, é só mandar no email beatrizbigarello@outlook.com colocando no título UMA PERGUNTA DE CADA VEZ, que terei o maior prazer em te ajudar!

Beijos e até a próxima edição do quadro #UMAPERGUNTADECADAVEZ

 

No comments

10 dez 2015

Quando me perdi…

Categoria: Atividades, Au Pair is..., Dicas, Medo, Viagens e Passeios

Por:

AUPAIRIS

Quando me perdi de mim, decidi encarar isso de frente e aceitar o fato de que perdas eventualmente culminam em encontros. Tracei um plano de sobrevivência que me faria enxergar o futuro com meus pés doloridos do agora e sem perceber, minha vida por si só, em um movimento apenas biológico que imita a cura de uma ferida física visível, foi curando pouco a pouco meus machucados internos que ninguém fazia ideia que estavam ali. Foi dolorido, mas libertador. É preciso se atirar no mar quando nossa alma cansada de lama, pede para se banhar em água viva. Já diziam os curandeiros que sal serve para espantar todos os males que carregamos nessa vida. No meu caso, me atirar não foi preciso. Eu simplesmente mergulhei de cabeça. Foi necessário e me curou. Cada um sabe o machucado que mais dói, e não preciso expor o que aconteceu naquela época que tirou minha liberdade de respirar o ar mais puro que meus pulmões aguentavam. Mas foi-se. E só quando me perdi, pude descobrir a outra vida que existia aqui fora. Fora da caixinha de achar que tudo tinha que ser como eu gostaria que fosse, fora das visões preconceituosas que todo ser humano carrega por sina, fora de todo o medo de tentar algo diferente e fracassar. E a vida de intercâmbio me trouxe a maior certeza que alguém poderia me dar: nada pode ser tão perda que não te dê a chance de se reencontrar de novo.

Por Beatriz Bigarello

Me segue nas redes sociais:

Facebook – Clique aqui.

Instagram – Clique aqui.

 

No comments

27 out 2015

Cursos Onlines “Grátis” de faculdades Nomeadas.

Categoria: Atividades, Au Pair is..., Dicas

Por:

 

Oiii

Vai mais uma dica, ou alguns links, de cursos onlines grátis de faculdades nomeadas como Yale, Havard, Princeton e etc. E alguma deles dão até o certificado. A maioria desses cursos são todos em inglês e não tem legenda ainda em português. Mas se você quer aprender algo novo e aprimorar um pouco o inglês corre lá.

* Alison – https://pt.alison.com/

* edX – https://www.edx.org/

* Coursera – https://www.coursera.org/

 

Eu comecei um curso de fotografia no site do Alison, que é de Havard e estou amando. Super recomendo! Beijos

 

3 comments

5 jun 2015

Ed Sheeran Concert

Categoria: Atividades, Au Pair is..., Dicas, Viagens e Passeios

Por:

Para as fãs de plantão <3

Semana passa fui no do Ed. Geeeente que emoção, confesso que não sou uma big fã dele. Mas amo as músicas e sei quase todas. Mas estando no show dele, com toda aquela vibração, aquela voz incrível juro que me apaixonei hehe Ele cantam perfeitamente bem. É exatamente igual as músicas, só que melhor. Sem contar que ele fez uma performance incrível, ele só precisou da voz e do violão. Ele sempre fica uns minutinhos tocando o violão enquando o equipamento grava o som. E depois ele usa o mesmo som para cantar. É só ele no palco, sem banda nem nada, e é demais. Super talentoso. Meu primeiro concert *-* Umas das vantagens de se morar nos USA é que você consegue ir no show dos seus artistas favoritos pagando pouco (paguei só $100, tudo bem que não era o melhor lugar, mais ainda continua barato) você consegue lugares marcados, tem assentos e muito organizado. Chegou até ser um pouco chato em certos pontos, porque tinham pessoas ao meu redor sentadas olhando e checando o facebook enquanto o Ed cantava –‘ E também não é toda aquela bagunça que nem é no Brasil (e olha que nunca fui em um show no brasil)  * não consegui postar o vídeo aqui, mais vou postar no meu canal soon. Beijoooos

 

2 comments

1 jun 2015

E os presentes?!

Categoria: Atividades, Au Pair is..., Cultura, Dicas, Dinheiro, Medo, Viagens e Passeios

Por:

Se tem uma coisa que deixa a gente preocupada, é ter que dar presente. Claro que quando o presente é pra uma família americana que vai te hospedar por um ano inteiro, essa preocupação se multiplica por mil! Até porque o presente que a gente leva de um país, mostra muito da cultura do local e da personalidade de quem o entrega. Sim meninas, também sofri…

Não me considero uma expert em presentes. Na verdade, sempre fui péssima com presentes, mesmo pra minha própria família, então já podem imaginar meu sufoco. Não sei se consigo ajudar muito, mas farei como no meu último post, compartilho minha experiência e minha opinião depois de vivência-la.

Ah, antes acho importante dizer que minha host family é composta por um casal de parents tradicionais, uma girl de 13 anos, outra girl de 10 e twins boys de 8 anos (sim, tenho 4 kids :o)!

*O que eu trouxe de presente para minha American family:

Host mom: kit natura (sabonete, hidratante), panos de prato patchwork, um porta papel higiênico patchwork também, em forma de filó

Host dad: cachaça artesanal, canivete personalizado da oficina do meu pai no Brasil, 5 cds de MPB

Girls: bolsinhas de couro (quelas feitas de remendo, muito tradicionais em Minas), colares artesanais que comprei numa banquinha hippie da minha cidade

Boys: gibis da turma da mônica em inglês, dois livrinhos sobre o folclore Brasileiro (em português mesmo), um jogo sobre as regiões geográficas do Brasil

Comida como presente coletivo: Pão-de-mel que eu mesma fiz, paçoquinha

Pra minha LCC: um cd de MPB e um pão-de-mel.

*Resultado:

Gente, sério, não gastem muito dinheiro com presentes. De um modo geral eles não precisam de nada, e dificilmente algo será útil ou agradará de verdade. Claro que todos agradeceram e demonstraram empolgação, mas no dia-a-dia a gente sabe o que foi legal e o que não foi.

A minha girl de 10 anos adorou a bolsinha e o colar (porque eram azuis, a sua cor preferida). A hosta gostou dos presentes patchwork, porque ela é toda “artesanal”. O hosto não gostou de nada,

a cachaça ta fechada até agora e quem escuta os cds de música levitra best dosage sou eu. A mais velha não gostou nem desgostou, acho que ficou na zona neutra. Os meninos não deram a menor bola para o meus presentes. Sério, vou levar tudo de volta pra casa quando voltar, os livros e gibis ficaram todos jogados numa prateleira com cialis generique effet as centenas de outros livros que eles já tem.

Das tadalafil naturel comidas eles gostaram, principalmente do pão de mel.

-Minhas Sugestões:

Hoje com mais experiência e ideias, vou dar algumas sugestões do que eu traria de presente (ou trarei, caso vá passar férias no Brasil):

*Cds de MPB (sim, eles não gostaram, mas acho que é um bom presente de qualquer forma. Não tenho culpa que eles não gostem de música).

*Patchwork/artesanato/trabalho manual, chame como quiser. O fato é que frufrus geralmente agradam as mulheres, e é uma forma bacana

de presentear com a cultura local também

*Animais de pelúcia (poderia ser até patchwork). Conhecendo minhas kids como eu conheço agora, sei que eles teriam ficado bem mais felizes em ganhar um bichinho cada, e se fosse de algum animal http://www.cialisgeneriquefr24.com/prix-cialis-20mg-en-pharmacie/ típico do Brasil, seria mais legal ainda

*Vinho brasileiro ou licor de Cassis (pra poder fazer a sobremesa com sorvete de creme e papaia). Gente, sei que é instintivo querer trazer cachaça, afinal, super típico, mas a verdade é que a maioria não gosta. Meu hosto toma vinho toda noite, se eu tivesse trazido um vinho ele teria gostado muito mais. Vivendo e sildenafil pas cher occasion aprendendo né, pode até trazer a cachaça, mas com a promessa de uma caipirinha!

P.s. Muitas meninas não recomendam trazer bebidas, pois pode passar a ideia errada. Eu trouxe, mas nunca tomei uma gota de álcool em casa, mesmo eles oferecendo. Vai muito de cada família, então fiquem espertas. E bebida também pesa na mala, então se fosse hoje eu traria só o licor, pra fazer sobremesa pra todo mundo.

*Mais comidas típicas. Sei lá gente, enfia tapioca no povo, rapadura, pé-de-moleque, pipoca doce… O que conseguir trazer. Chocolates do Brasil (cacau show, Brasil cacau, etc), biscoitinhos caseiros… Não sei nas outras famílias, mas aqui eles adoram um docinho, principalmente caseiro. Então tudo que der pra trazer, traga, da paçoquinha à geleia de pinga que “a vó” faz.

*Cachecol, luvas, toucas… Sabe aqueles trabalhinhos lindos de tricô que toda família tem uma “tia” que faz? É um presente lindo de se dar, e com certeza terá muita oportunidade de uso por aqui.

*Não percam tempo com Atlas e livros sobre os últimos 500 anos da história do Brasil. Nem os Brasileiros sabem a própria história, pra que querer enfiar isso “guela baixo” das nossas American kids? Geralmente o pessoal por aqui não está muito interessado em decorar as regiões e estos brasileiros. para ser honesta, minhas kids não se interessam por quase nada do Brasil, com excessão do futebol, claro. Se bem que depois do vexame da copa, até o futebol deu uma caidinha por aqui. https://www.acheterviagrafr24.com/achat-viagra-en-ligne-belgique/ Então, segundo minha própria experiência, eu não perderia mais tempo com livros e jogos sobre o Brasil. A medida que as kids vão gostando da gente é que eles vão se interessando pela nossa cultura. E aí tem internet pra mostrar fotos, não precisa vir com 5 bíblias geográficas na mala.

*camisetas de times e chinelos havaianas. Algumas meninas trouxeram e foi um sucesso, mas eu não traria. Chinelo de dedo é o que mais tem em qualquer mercadinho de esquina no verão, alguns custando a baratela de 1 dólar o par. E camiseta de time… Bem, como eu já disse, não estamos tão em alta assim, mas aí vai de cada uma. Meus meninos teriam gostado de ganhar camisetas do time brasileiro, mesmo já tendo uma

cada um. Acho que também teriam gostado de uma bola personalizada também, mesmo já tendo 500 aqui em casa.

*Aqueles kits vendidos em lojas típicas de presentes brasileiros, também pode ser uma boa (tipo kit caipirinha, kit “coisas típicas”, etc).

Um livro de receitas típicas (em acheter viagra inglês) pra hosta também poderia ser sucesso. O difícil é encontrar!

O engraçado é que nós Brasileiros somos muito encanados em querer agradar com presentes, mas nos outros países não é bem assim. Recebemos a visita de uma antiga au pair alemã

há algumas semanas, e a única coisa que ela trouxe de presente foram uns cookies grandes em formato de coração, com o nome de cada um escrito (um nome em cada cookie). E o mais engraçado é que ela falou que não pode comer o cookie (oi?). E quando cheguei aqui na casa, o único presente que ganhei foi um par de luvas de lã artesanais (daquelas que não tem os dedos, fica parecendo que coloquei uma meia na mão).

Essa é a filó “patchwork” que falei, ficou pendurada no banheiro da casa de férias

Enfim, espero ter ajudado de alguma forma, sei o quanto é difícil decidir os presentes! Se alguém tiver dúvidas, sugestões, críticas, pode deixar nos comentários que eu sempre respondo (não to famosa ainda) kkk.

Ah, e se alguém tiver sugestão de tema para um próximo post, pode deixar nos comentários também.

É isso aí, até a próxima.  😉

No comments