25 jul 2014

Bem-vinda de volta!

Categoria: Atividades, Au Pair is..., Dicas, Medo

Por:

Bem vinda de volta à terrinha!!

você vai passar a valorizar muitas coisas daqui, que sentiu falta…mas vai abominar outras, sentir falta de peculiaridades do hemisfério norte e até mesmo chorar quando essa saudade aparecer… mas não se preocupe, tudo passa!

eu até hoje, depois de mais de 2 anos que voltei dos EUA sinto saudades de muitas coisas e pessoas que eu tinha por lá… normal…se vc morasse em qualquer lugar e criasse certas raízes você sentiria saudade, assim como morreu de saudade quando chegou lá…agora é o inverso… homesick do seu antigo lar temporário.

mas passa… a gente às vezes acha que a dor será infinita, que a gente tem que voltar pra lá imediatamente para não perder o que deixamos por lá, seja a família hospedeira querida, as crianças que vão crescer e podem te esquecer (odeio pensar nisso, mas OK, nós é que somos muito calorosos e emotivos, os americanos não são tanto e podem não ter o mesmo nível de afeto que temos com eles), seja um amor, amigos, as compras, as coisas e lugares que só tem lá… mas aos poucos nossa vida volta ao eixo e ficamos tomadas por outras coisas igualmente interessantes, pois quando voltamos nós ‘redescobrimos’ o Brasil… fato!!

se vc deixou um amor é mais difícil pq seus dias não serão os mesmos..é a saudade que mais dói… no meu caso eu não consegui manter uma relação a distância porque eu preciso de beijo, abraço, de mãos dadas e do calor de alguém, não suporto a frieza de um telefone, um email, uma conversa por Skype..não adianta pois não é a mesma coisa.

Eu não tinha dinheiro e tempo suficiente para viajar e nem meu ‘ficante’ na ocasião, até tentamos por um tempinho, mas não sobreviveu à distância = ( então mantivemos a amizade, mas a vida amorosa continuou pois não é fácil eliminar as barreiras físicas e a distância corporal e tbm amorosa que sofremos, mas cada casal é diferente..cada pessoa é diferente…eu não iria conseguir viajar para vê-lo e nem ele vir me ver, então nosso amor foi acabando…fomos nos distanciando e o que sobrou foi carinho e boas lembranças.. com o tempo passei a não sofrer mais com isso, mas acredito que tenha gente que consiga superar, que consiga namorar a distância, que consiga esperar para se juntar à pessoa amada depois de um tempo… ou voltar para lá ou trazer o amor para perto de si…

mas enfim…curta sua volta…a família..amigos..tenho certeza q todo mundo sentiu sua falta por aqui, e vc sentiu deles… volte pra sua vida sem voltar à rotina…pois sendo Au Pair nos acostumamos a não ter mais aquela rotina chata de antes..então faça do seu dia sempre uma aventura..mesmo q seja dentro da sua casa!

o que precisar desabafar, contar, perguntar conte comigo, pois tenho certeza que já passei por tudo isso e superei..a gente acha que é o fim do mundo mas a gente sempre acha um jeito de se sentir melhor, esquecer, resolver…enfim… O que for pra ser será, não force a barra, não sofra, não se sacrifique por nada, pois tudo se ajeita da melhor forma que tiver que ser para o seu bem!!! =)

ah, no campo profissional não esqueça de atualizar seu currículo com os cursos que você fez por lá, seja o que for, mencionar que você estudou nos EUA mostra que pelo menos seu inglês foi melhorado e vc teve uma excelente experiência de vida!! As boas oportunidades virão…não se apresse…dê tempo ao tempo para vc voltar à vida normal, mate a saudade de todos, viaje se preciso, cuide-se e então volte ao campo de batalha que se chama Mercado de Trabalho!

Bem vinda de volta!! Se cuida e aproveita esse novo Brasil q vc vai redescobrir!!

No comments

30 abr 2014

Sua duvida é minha inspiração!!

Categoria: Atividades, Au Pair is..., Cultura, Dicas, Estudos, Medo

Por:

Olá aspirantes a Au Pair… fico imensamente feliz ao ver que posso ajudar muitas meninas com suas dúvidas, inquietações, medos e expectativas com o programa…

Por isso o Post hj é diferente, quero contar com 100% da participação de vocês…escrevam nos comentários quais são as maiores dúvidas e medos que vocês tem assim poderei escrever sobre isso e ajudar muitas de vcs, que talvez nem tenham pensado no assunto, e o post pode ajudá-las a refletir mais sobre isso =)

 

Conto com a participação de todas e aproveito para agradecer os comentários nos meus posts!! Respondi todos…vejam lá as respostas… alguns atrasadinhos, mas de todo meu <3 coração!!

 

Beijão a todas !!

 

44 comments

15 abr 2014

Hora de voltar…

Categoria: Atividades, Au Pair is..., Cultura, Dicas, Medo

Por:

Decidir ser Au Pair é muito difícil pois implica deixar toda sua vida, conforto, amigos, família, trabalho e muitas outras coisas de lado para aventurar-se em um mundo novo de muitas descobertas, principalmente uma AUTODESCOBERTA, pois voltamos nos conhecendo melhor, as fraquezas, as forças e capacidades que temos e não sabemos e muito mais…

Mas acontece que é ainda mais difícil decidir ficar por lá ou voltar… uma vez lá a gente começa a se sentir familiarizada com nossa host family, com nossa casa, com nossas host kids e com os amigos que fazemos pelo caminho… e fica ainda mais difícil tomar a decisão de que caminho seguir quando chega a hora de partir.

As aspirantes a Au Pair sabem que podem estender o programa por mais 6, 9 ou 12 meses se quiserem e se a família desejar, ou com outra host family se assim preferirem… mas a escolha de seguir sendo Au Pair ou voltar pra casa, para sua casa, para sua família real é ainda mais complicada. Dá um nó ao pesar os prós e contras… dá uma aflição, um medo de se arrepender com sua escolha, a gente chora, sofre, grita por dentro, pede respostas pra Deus ou qualquer outra energia que nos possa guiar nessa decisão.

Minha decisão foi difícil… cada vez que eu falava sobre isso com minha host family eu chorava, cada vez que falava com minha família real eu também chorava… quando chegou perto do oitavo mês (aquele crucial em que você tem que estar preparada para escolher…e na maioria das vezes não pode voltar atrás) eu comecei a sofrer demais, como se meus dois braços estivessem atados a duas cordas e cada uma me puxasse para um lado diferente… metade de mim queria permanecer e continuar vivendo uma vida de “babá sonhadora” e a outra sair correndo para ver minha família real, ganhar o abraço dos meus familiares, a alegria dos meus velhos amigos, comer a comida deliciosa que só o Brasil tem, ver as belezas e sentir o clima gostoso peculiar ao meu lar…

“Home is where the heart is…” (Lar é onde seu coração está) são os ditos de um ímã de geladeira que comprei logo que cheguei lá, para me acostumar e fazer com que meu coração estivesse lá completamente, para eu pensasse nisso e não sofresse com a distância de casa (a famosa homesick) e pudesse amar intensamente as pessoas e o local em que estava, que seria meu novo lar durante este ano do programa.

Crédito da foto: Blog das Marias

Meu conselho para quem está vivendo esse impasse e quem vai viver (e é inevitável) é que siga seu coração… deixe ele falar por você na hora de escolher por ir ou ficar…. permanecer ou voltar… voltar não é regredir… nem ficar é fugir da realidade… cada uma sabe dos sentimentos que carrega por cada situação e só você vai saber o que é melhor para você naquele momento e no futuro… Não há mãe, pai, melhor amiga, pastor da igreja, papa, namorado ou vizinha que vá saber o que você sente e o que deseja fazer…por isso, confie na sua intuição e tome essa difícil decisão! Não tenha medo do resultado… você tem que escolher… a sua hora vai chegar!

Eu decidi voltar… não me arrependo, embora sinta muitas saudades de tudo e de todos. Quando estamos fora de casa acabamos reconhecendo que é preciso criar substituições que nos confortem fora do nosso ninho… Há as pessoas que são nossos portos seguros, há as que nos guiam, as que nos ouvem, as que nos entendem, as que passam pela mesma situação e nos identificamos com elas… às vezes há uma paixão, há o carinho que desenvolvemos pela host family…. enfim, criamos uma nova família fora de casa e ficamos com aquela saudade, aquela vontade de voltar pro nosso segundo lar e viver tudo de novo, assim como tínhamos saudades de casa… sentimos falta da nossa nova casa e dessa nova grande família que deixamos para trás…

O que mais me deixa triste e me fez chorar como criança foi pensar que muitas das pessoas que eu conheci na minha aventura eu nunca mais verei, nunca mais compartilharei momentos com elas, nunca mais poderei sentir o calor do abraço, a alegria da nossa amizade e não poderei tomar um café com elas quando eu quiser… isso dói, mas também dói a sensação de que tudo pode ser passageiro, as pessoas eram passageiras, como eu fui quando estava lá, eu poderia prolongar minha experiência, mas de qualquer maneira, meus dias lá, e de muitos amigos, estavam contados, todo mundo vai e volta e para mim aquela era a hora de voltar!

Claro que a gente mantém contato com as pessoas mais significativas e com quem tivemos  mais afinidades… uma amizade verdadeira não morre com a distância, mas é bem mais complicado manter a proximidade e o calor humano via internet… por isso doe-se, aproveite, se jogue, chore, dance, grite, ame, fale tudo que tem a dizer, viaje, coma, sonhe e volte, na hora que for para você voltar… pois todos os momentos que viver, com certeza não voltam jamais…

 

8 comments

15 fev 2014

Perfil das Au Pairs brasileiras

Categoria: Atividades, Au Pair is..., Cultura, Dicas, Medo

Por:

Meninas, eu achei um site que conta pras famílias americanas como são as meninas brasileiras…

Concordei em alguns aspectos, mas outros não, mas em geral…generalizando mesmo, é um pouco do que somos ou aparentamos ser para o mundo… deem uma olhada e vejam o que podem estar pensando de nós, quando entram em contato com a gente é a imagem que tem do nosso jeito de ser e o que esperam de nós…

O site é em inglês, ou seja, para as famílias americanas bisbilhotarem sobre nosso jeitão de ser…hehehehe

Não vou traduzir pois é bom para vcs saberem que tipos de perguntas podem ser feitas nas entrevistas, se as famílias tiverem consultado este site ou quiserem saber sobre esses costumes…ajuda a elaborar suas respostas, baseadas nessas ou bem diferentes dessas, para impressionar a família =)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

em geral as famílias gostam muitos das Au Pairs brasileiras… não conheço nenhuma família que não tenha tido uma e não tenha elogiado quando eu falava que era brasileira…somos simpáticas, legais, honestas, sinceras e carinhosas com as kids…como não nos amar? Somos AU PAIRS nota 10!

….

O site é o http://www.aupairinamerica.com/resources/culture_quests/brazil.asp

The following information is generalized and compiled from questions posed to the agents and interviewers in Brazil. Although au pairs from this country may or may not have had these experiences/beliefs, Au Pair in America wishes to share this general information with our families.

Au Pairs in General

  • The idea of being an au pair is not common in Brazil.
  • Applicants from Brazil are motivated by the desire to improve their English.
  • An au pair’s job potential is improved upon her return to Brazil.
  • Applicants sometimes have difficulty finding the program fees.
  • Young people in Brazil have the freedom of their family to socialize and date.
  • Curfews are common.
  • Young women are accustomed to sharing in household chores.
  • Nudity is not common in Brazil.
  • Brazilian people are known for being social, open-minded, happy, energetic, hard working, very optimistic, open toward other cultures, and extremely caring with people.

Child Care Practices

  • The attitudes/types of discipline vary a lot according to the social class; middle class parents tend to be more liberal and would explain the situation to the child, whereas working class families handle discipline in a physical manner.
  • Sometimes some families slap the hands or the bottom when a child misbehaves.
  • Applicants obtain childcare experience through formal schooling or by working or volunteering in a school day care center, hospital or church.
  • Both parents are responsible for childcare responsibilities.
  • It is common for both parents to work and be away from home during the day.

Driving Skills

  • The driver’s license in is available at age 18, and is not difficult to obtain.
  • To obtain a license in Brazil, candidates must take 15 driving lessons (practical and theoretical) and 30 lessons that include first aid, mechanical, citizenship and a psychological test.
  • The International driving permit is available.
  • It is not common for the parents provide a car in which to practice because it is expensive to have and keep a car in Brazil.
  • Most cars have manual transmission.

English Language Skills

  • English is compulsory from middle school until the end of high school. Lessons would be given once or twice a week for about 50 minutes.
  • Classes focus more on written than oral skills. Private lessons are taken too in order to speak more advanced English.

Education

  • Very few young women continue their studies at University.
  • Most applicants start work as soon as possible.
  • The academic year starts in February and ends in November.
  • The educational opportunities of the program are very important for their future career.

Health

  • The most common inoculations are MMR, diphtheria, hepatitis and polio.
  • Most young women are inoculated and tested for TB (Tuberculosis).
  • Brazil has a free health service, but it is of low quality.
  • Most young women visit the dentist on a regular basis, which is expensive.
  • “Eating disorders” are not common.

Diet

  • Most young people in Brazil eat meat.
  • Vegetarianism is not common.
  • A typical Brazilian diet includes rice, beans, beef, chicken, fish, vegetables, salads, and fruits.

Religion

  • The most common religion in Brazil is Catholic.
  • Most young people in Brazil do not practice their religion regularly.
  • A young person would rarely choose to practice a religion that is different than her family’s religion.
  • Church services are attended once a week, and meat is not eaten during Lent.

Telephone & Internet

  • Most homes have a telephone and a computer with access to the Internet.
  • Family members will not be able to take a message from a potential Host Family.

 

Bom, isso é o báscio… achei legal compartilhar com vcs pois muitas meninas me perguntam o que eles perguntam em entrevistas e basicamente é tudo isso que eles querem saber de vc..então esteja preparada pra responder… nada de mal né? Só que há divergências de família para família e algumas podem ter problemas com religião, com tipo de comida que vc come, então como vc fará parte da vida deles, eles tem que saber de tudo para te recepcionar e cuidar de vc da melhor forma, entõa não esqueça de mencionar restrições alimentares, hábitos, costumes religiosos e o que mais for relevante para seu bom convívio em outra família…

Good Luck!!

11 comments

26 set 2013

O que trazer dos EUA?

Categoria: Au Pair is..., Cultura, Dicas, Dinheiro, Medo, Viagens e Passeios

Por:

Hello girls! Tudo bem?

Esse tema é algo que deixa muita gente louca quando viaja para os EUA, pois como os impostos são menores e tudo sai mais barato que comprar no Brasil, as pessoas tem delírios ultra consumistas quando estão em terras americanas e podem comprar coisas ´importadas´ da fonte!

Eu sou muitooooo econômica, dessas que guarda mesada e dinheiro que ganha no Natal por anos a fio, até aparecer algo que valha a pena gastar. Quando fui pros EUA planejei guardar pelo menos 4 meses de salário para me sustentar quando eu voltasse e não tivesse emprego, mas meus planos foram por água abaixo quando eu ia às compras… comprei tudo que podia, queria e um pouco mais…

Uma coisa boa que me aconteceu é que eu consegui vender boa parte das coisas que trouxe de lá para amigas e familiares pois senão estaria sem dinheiro e sem espaço em casa pra tanta coisa! Eu exagerei, voltei com 6 malas, não recomendo… consegui um documento no Consulado do Brasil em Washington DC que provava que eu morei por um ano nos EUA e aquela era minha mudança, senão eu estaria frita na alfândega… trouxe apenas U$200,00 comigo dos EUA, não pagaria nem metade das taxas de alfândega… então muito cuidado!
Eu dei sorte por não terem me parado, e se parassem eu tinha esse documento, mas não é todo mundo que consegue, é burocrático como tudo nessa vida… você tem que levar documentos como correspondência, comprovante de endereço, conta em banco pra conseguir esse comprovante e como a gente só começa a receber coisas em nosso nome depois de um tempo, é difícil pra muita gente conseguir dar mais de um ano de comprovação. O meu por muita sorte deu 1 ano e 1 dia, na trave!

Vc vai enlouquecer com as lojas e todas as coisas baratas que pode trazer, mas não recomendo comprar tudo que ve pela frente, ainda mais no início, pois depois vc acha coisas mais legais e mais baratas e se arrepende…e também vc não tem noção de espaço morando nos EUA porque não calcula o que vai nas malas, então prepare-se pra comprar mais malas e arcar com o excesso de bagagem, que não é barato e é sempre visado pela alfândega…

Uma listinha de coisas interessantes e que compensa trazer, por serem mais baratas e também serem da última geração:

-maquiagem
– perfumes
-sapatos / tênis
– bolsas
– IPhone, Ipad, Ipod e artigos da Apple, pois mesmo em outras lojas vc acha acessórios que servem, mais baratos
– lingerie da Victoria’s Secret
– se vc não é adepta à Apple, pode procurar outro celular (desbloqueado) ou tablet legal e mais barato
– Câmera fotográfica (normal, a prova d´água ou profissional)
– óculos de sol
-relógios
– notebook
– videogame e jogos
– Hd externo
– itens de informática modernos
– doca de Ipod ou MP3 players
– cremes e cosméticos famosos
– GPS
– roupas de marca que não tem no Brasil ou são muito caras aqui
– fones de ouvido
– novidades que vc vai ver nas ruas e vai querer!

Poxa, tem tanta coisa legal pra comprar que vale a pena que nem lembro mais, mas basicamente foi tudo que eu trouxe e muitaaaaa, mas muitaaa roupa e acessórios, além de sapatos e bolsas que eu pirava na Forever 21, mas agora no Brasil vai abrir loja então não precisa mais voltar cheia dos EUA porque será possível comprar aqui e não pagar por excesso de bagagem!

Como eu disse…tive delírios consumistas, exagerei, sorte que pude vender aqui muitas coisas… tive que deixar muitas roupas velhas nos EUA, doei para o Salvation Army (eles buscam em casa), fiz uma boa ação e voltei cheia de coisas novas, até demais!

É isso ae… compre com moderação!

Kisses and Hugs

Isa

15 comments