21 fev 2010

Estou off, porém as crianças não entendem isso. O que fazer?

Categoria: Au Pair is...

Por:

Passei por isso no início do meu primeiro ano. Fui a primeira Au Pair da família e tanto eles,como eu, não sabíamos exatamente como seria essa relação. Com o tempo fomos nos arrumando, aparando as arestas e as coisas se acertaram.

Os primeiros meses são de adaptação e algumas coisas podem ser complicadas. E é com muita conversa que conseguimos ajeitar tudo.

Logo no início era difícil pras crianças entenderem que eu ficava com elas enquanto os pais não estavam em casa e quando eles chegavam era minha “folga”. Como explicar isso pra crianças de 3 ou 4 anos? Eu passava o dia inteiro com elas e a noite eu queria descansar, fazer o que tinha que fazer, homework, fazer a unha ou whatever. Queria ficar sozinha um pouco, descansando a mente, falar com minha família e amigos no Brasil. Mas elas ainda queriam ficar comigo. Eu ia pro meu quarto, elas iam atrás. Ia pro computador e lá iam elas. E sim, criança dá trabalho. Tem que ficar de olho. Eu gostava, e ainda gosto, muito delas, mas precisava do meu espaço, de um tempo só meu. Só mesmo saindo de casa era que eu conseguia pensar um pouco sem ter que ficar me preocupando com as kids. Foi aí que chegou ao ponto de eu ter que conversar com os hosts e dizer isso tudo a eles. Explicar que não que eu não gostasse de ficar com as crianças, mas que eu precisava de um tempo.

Meu quarto não tinha tranca (aliás, nenhum quarto na casa tinha), pois eles achavam perigoso as crianças se trancarem lá dentro e acontecer algo. O que fazer então se era eu entrar no quarto que vinham as duas atrás? Os pais conversaram com elas e meu quarto acabou virando tipo um “território proibido” na casa. Elas só podiam entrar se eu as chamasse Explicaram que, quando papai e mamãe não estavam em casa, era eu quem cuidava delas. Porém quando eles estavam, elas tinham que passar o tempo com eles. As coisas melhoraram bem depois disso. Mas era só eu chegar com alguma amiga em casa pra elas grudarem no meu pé. Mas logo desgrudavam e iam fazer outra coisa. Com o tempo isso deixou de ser “novidade”.

Durante o ano, nos apegamos muito às crianças, do mesmo jeito que elas se apegam à nós, e fica difícil distinguir trabalho de horário livre quando estamos em casa. Mas precisamos, e muito, desse tempo só nosso, e a host family tem que entender e fazer com que isso aconteça. Caso contrário essa experiência pode se tornar cansativa e não prazerosa. Não podemos ter receio de dizer à host family quando algo nos incomoda, pois  quando fazemos algo que não os agrada, eles falarão. É melhor resolver os problemas enquanto eles ainda são menores do que depois que eles viram um “big deal”.

1 comment

  1. Ariane disse:

    Oiiii meninas… amo este espaço!!!!
    Adoro cada post que me faz sonhar sem ter vivido, ainda espero! rs
    Estou no ínicio do meu processo, bem no ínicio msm, na vdd vou fazer agora o teste de inglês na agência e por isso já estou mto nervosa; Gostaria de algumas dicas do que caí nesses testes. Vou fazer na Experimento e não tenho idéia de como funciona, as perguntas, são speaking, listening, gramática?
    Meu problema é que eu entendo mto bm, mas na hora de falar travoooo, tenho mto medo de não conseguir pelo meu nervosismo. Se puderem me dar algumas dicas agradeço mtooo!

    Obrigada por sempre serem tão criativas no post, vcs são demais!
    Bjus :), Ari (futura au pair 2010 se Deus quiser!)

Leave your Commnet!