1 set 2009

Host Family X Au Pair. 1n7r

Categoria: Dicas

Por:

Depois do “terror”  que passamos esperando a ligação das familias, ficamos na ansiedade da chegada do embarque e a familia, rua, cidade, casa, criança(s), que escolhemos são apenas fotos que estão muito distantes. O dia chega, a choradeira passa, a saudade começa e tudo vira realidade, familia, rua, cidade, casa, crianças……

Ter uma relação com a nova familia pode, e na maioria das vezes ‘e uma coisa muito dificil. A gente não sabe o que conversar, se precisamos conversar, que tipo de relação eles querem ter com a gente, seremos familia, seremos apenas pessoas que estão la cuidando dos filhos deles, O QUE SOMOS?

A maioria das pessoas (e eu era uma delas) tem em mente que americanos são muitos fechados, não são de abraçar, ter contato fisico com os outros (mesmo porque aqui as leis de abuso sexual são rigidas) e isso torna a vida muito dificil para nos, brasileiras que abraçamos todo mundo e isso as vezes vem com um, as vezes com dois, dependendo aonde voce mora vem com 3 beijos de presente. Na propria orientação eles falam sobre esse assunto, relação de au-pair com o host dad, com as crianças, como eles irão te receber, etc…

Tendo isso em mente, e petrificada depois da orientação, cheguei na familia com um ar de O QUE FAREI AGORA? Você fica realmente sem jeito na presença deles, mesmo porque no começo você não se sente confortavel em nada e com nada…. Lembro nas primeiras semanas que estava aqui, meus hosts estavam montando meus horarios e meu host dad sentou no sofa do meu lado, e perguntou se poderia sentar ali, se eu estava confortavel com isso. Achei muito engraçado, o cuidado que teve na epoca e agora, depois de tanto tempo, como as coisas mudaram.

Tenho uma otima relação com a familia que escolhi. Chegando aqui, virei parte da familia, primeiro porque foi isso que eles sempre quiseram, tinham em mente o que queriam ao escolher uma au-pair, mas ajuda tambem o fato da diferenças de idade entre nos ser pequena. Hoje em dia, contamos piadas, tiro sarro da cara deles, como se estivesse conversando com meu irmão ou irmã.

Mas nem todas as familias são ou serão assim. As vezes, e muitas vezes, eles são a perfeita familia no telefone, mas chegando aqui, no dia a dia, a coisa muda e o pesadelo começa. Tenha sempre em mente que você esta aqui para ajuda-los e não ser escravo da familia. Não caia no conto de ” ‘e estranho para nos recebermos pessoas estranhas dentro de casa” como ja ouvi de au-pair que ouviu da sua familia. Esta tendo problemas com as crianças? Quer algumas coisa do supermercado? Peça, faça lista das coisa no começo, e depois no dia-a-dia vocês vão se encontrando e trabalhando. Se as coisas não estão dando certo, converse com eles, tente se acertar, se precisar chame a consuler para a conversa tambem, as vezes não falamos nada por não termos um bom ingles, ou não achar as palavras certas, mas a primeira coisa que se tem que ter ‘e calma. Nesses meus anos aqui (e são 3, mas essa historia eu conto depois hehe) eu ouvi muitas meninas reclamarem para as outras au-pair e nao saberem o que fazer porque não estavam se entendendo com a familia, mas não abriam a boca,e talvez esperavam as coisas acontecerem por milagres ou de repente não falavam por medo de um re-match.  

Somos muito bem vistas aqui, todo mundo gosta de uma brasileira porque somos um povo alegre, divertido e, apesar de não podermos ter contatos, muito carinhoso e afetuoso. Tente ter uma boa relação com a sua familia, se você não quiser essa relação, pelo menos respeite as regras da casa, ja vi muitas meninas tambem reclamarem que acharam que estavam se “livrando” dos pais no Brasil e chegando aqui acharam rigidas familias e isso acaba criando conflitos tambem.

Lembrem-se Converse sempre. Assim você tera anos inesqueciveis com a familia, porque no final, quem acaba fazendo seu ano aqui não são as crianças que você escolheu/toma conta e sim a relação que você tem com a familia que te acolheu.

3 comments

  1. dani disse:

    Adorei o Post JUly. lendo isso me lembrei de quando cheguei e minha host não me abraçou nem me ajudou a peghar as malas enquanto a menina do lado (au pair numa cidade vizinha) recebeu maior abração da host dela. cada familia eh de um jeito, mas uma coisa que eu gostei que voce disse: respeite a casa e as regras, voce pode nao fazer parte da familia, mas com certeza tera uma boa convivencia e se nao tiver Conversa eh a chave.

  2. JUDITE disse:

    gostaria muito d trabalhar nos estados unidos
    como beby sitter
    como farei?
    pois sei q o salario aq e bom
    c puder m ajudar,ficarei muito grata!!
    obrigada
    Judite

  3. Rosana disse:

    July! Muito bacana esse post! Isso vai ajudar bastante a gente que ainda está aqui no Brasil, mesmo com a orientação de nossa agente, é sempre bom ter dicas de pessoas que vivenciam ou vivenciaram essa experiência.

    E, acrescentando, a questão de respeitar a casa e as regras, é a mesma de um trabalho em qualquer lugar do mundo, a gente deve respeitar as regras do nosso emprego, porque senão podemos ser demitidos mesmo.

Leave your Commnet!