13 ago 2012

Orientação, treinamento, 1ª semana nos EUA!

Categoria: Au Pair is..., Dicas, Viagens e Passeios

Por:

O treinamento ou orientação em NY é um momento inesquecível, pois são seus primeiros momentos nos EUA.

É lá que você vai entender que está num outro país e por um ano inteiro. É lá que vai cair a ficha, vai dar vontade de chorar, mas também de secar as lágrimas, e sem perder tempo, partir pra conhecer esse novo mundo que te espera… porque afinal, é apenas um ano, ou dois se você quiser, mas de qualquer forma, passa rápido, viu?!

21.04.11 - Stamford -ultimo dia (2)

É no treinamento que você tem que prestar atenção na instrutora e tirar todas as dúvidas que tem. Ser Au pair é uma grande responsabilidade, além de ser divertido, mas você tem que estar preparada para os possíveis empecilhos que vc pode encontrar… mas se vc fizer tudo certinho, com certeza não enfrentará nenhum problema! É pra isso que existe o treinamento…

Se vc tem pouca experiência com crianças, o jeito é se dedicar no treinamento e ganhar toda a experiência que precisa, mas acima de tudo dedicar-se ao máximo para entender tudo..e se não entender: Pergunte!!!!

21.04.11 - Stamford -ultimo dia (4)

Você vai rir com as coisas que a orientadora vai dizer, vai contar sobre a vida nos EUA. Vai participar ativamente dos grupos, das atividades, vai ser entrevistada sobre como é a família que escolheu, enfim…

Vai conhecer suas amigas do futuro, que vão morar na mesma cidade ou região que vc… e vcs passarão a ser uma família a partir daquele momento…

O treinamento geralmente é em Stanford, não exatamente na cidade de NY, por isso é vendido um Tour para que possamos passar uma tarde/noite em NYC e para que possamos conhecer um pouco da Big Apple e matar aquela curiosidade e vontade de estar em NY. Custa em torno de U$60,00.

20.04.11 - Tour New York (69)

Uma menina me perguntou quanto a gente gasta na primeira semana de treinamento, que é quando não temos nosso “salário” ainda… Eu gastei em torno de 200 dólares. Uma média de U$ 40,00 por dia… mas não se desespere para comprar tudo que vir na frente, não compensa!!! Você terá o ano todo pra gastar e o melhor, terá seu salário mais tarde pra gastar, então não torre o que levar na primeira semana!!

Algumas famílias vão buscar as meninas no hotel, outras mandam passagem de bus, outras de trem, outras de avião, depende da distância de NY do lugar em que vc vai morar… não se sinta desprestigiada se sua família não for no hotel te buscar ou não mandar passagens de primeira classe, afinal o importante é você chegar até sua família, e eles sempre darão um jeito de vc chegar segura e o quanto antes ao seu destino =)

Não tenham medo do treinamento… ele é bom pra acalmar os ânimos de nós meninas que chegamos sem saber onde pisamos, e saímos de lá com muito conhecimento, muita história pra contar, diversão e acima de tudo com amigas pra vida!

Aproveitem o treinamento, porque ele é uma vez só!!!

No comments

25 mar 2011

A recepção das host families

Categoria: Au Pair is...

Por:

Assim como nós esperamos ansiosamente pra chegar na casa da host family, eles também esperam nossa chegada.

Arrumam nosso quarto, separam roupa de cama e banho, deixam tudo limpo e arrumado, só aguardando por nós, au pairs.

Na meu primeiro ano, como iria ficar em CT, meu host father foi me buscar no hotel em Stamford. No caminho, que durou aproximadamente uma hora, eu estava bem nervosa, e fomos conversando sobre diversos assuntos: clima, economia, as crianças, a vizinhança…

Chegando lá, as crianças vieram me receber com beijos e abraços e logo foram me mostrando meu quarto, que estava arrumadinho, com uma cesta cheia produtos de beleza e higiene pessoal. Me mostravam o banheiro que eu iria usar, o quarto delas e o resto da casa. Como já era a noite, fomos jantar. Minha host mother havia preparado uma lasanha, depois de me perguntar (antes de eu embarcar) se eu gostava . Jantamos, conversamos muito, recebi uma visita da au pair vizinha, que também era brasileira, recebi algumas instruções sobre a casa (como ligar a TV, microondas, telefone, desativar/ativar o alarme, abrir o portão da garagem…), mas como era muita informação de uma vez só, logo me “liberaram” pra ir descansar. No dia seguinte, saí para dirigir com minha host mother, que já foi me ensinando o caminho, onde ficava a escola, as lojas, farmácia… Nesse dia ela tirou o dia de folga e me levou a vários lugares e explicou como seria a rotina e regras. Esses primeiros dias são um pouco cansativos, já que é tudo em inglês o tempo todo e muitas informações novas. No terceiro dia, já fiquei com as crianças e levei e busquei na escola. Meu host father abriu uma conta no banco pra mim e já me ensinaram como fazia pra tirar o social security number, pois precisava tirar a carteira de motorista do estado. Sempre que eu precisava, eles me indicavam o melhor lugar pra ir. Eles foram muito receptivos e me ajudaram muito, com o inglês, com a cidade, com as crianças, com a casa.

Quando cheguei à minha segunda host family, um ano depois da experiência acima, eu já estava MUITO mais habituada com os EUA. Como eles ainda tinham uma au pair (que era minha amiga há anos já no Brasil), fui recebida por ela e pelo host father no aeroporto. Quando chegamos, as crianças e a mãe estavam à nossa espera. Eles foram muito receptivos também. No meu quarto, além de uma cesta cheia de guloseimas, havia cartazes feitos pela minha amiga com a ajuda das crianças. Depois que me mostraram a casa inteira, jantamos e conversamos bastante. No dia seguinte, saí pra dirigir com meu host father, que não me levou longe. Como a Ana (minha amiga au pair) estava lá, ela que me apresentou aos lugares e deu várias dicas sobre a cidade e a host family. Ela ficou ainda por uns 10 dias ainda depois que cheguei, então tivemos bastante tempo pra ela me mostrar várias coisas. Quando ela foi embora, meus hosts sempre me ajudavam no que eu precisava, dando dicas e informações que sempre eram muito bem vindas.

Foram duas situações diferentes, mas as duas host families me receberam muito bem e fizeram várias coisas para que eu me adaptasse rapidamente e me sentisse bem. E eu acredito que seja assim na maioria dos casos (pelo que ouvi até hoje).

9 comments