28 mar 2010

“Amigo Ovo”

Categoria: Au Pair is..., Cultura, Dicas, Fotos

Por:

A páscoa está chegando e são nesses feriados, os quais costumamos passar com a família, que a saudade aperta e bate aquela homesick.

Almoço de Páscoa

Almoço de Páscoa

Nos EUA, ovos de páscoa como conhecemos por aqui, de diferentes tipos, sabores e tamanhos, não são muito comuns. Porém nas lojas brasileiras é possível encontrá-los.

Pra matar a saudade, umas amigas brazucas e eu marcamos um “amigo ovo” no fim de semana da páscoa. Tiramos os nomes algum tempo antes e trocamos os ovos num restaurante brasileiro que costumávamos ir. Foi super gostoso e divertido. Além de matar a vontade de comer os deliciosos ovos de páscoa do Brasil, passamos uma tarde bastante agradável juntas, o que ajudou a diminuir um pouco a saudade de casa.

Trocando os ovos

Trocando os ovos

Dá pra fazer isso também com meninas de outras nacionalidades, trocando não somente ovos, mas chocolates diversos. Além de divertido, pode ser uma troca cultural  interessante.

No comments

19 nov 2009

Homesick no segundo ano?

Categoria: Dicas, Medo

Por:

É possível??? Sim!

Pode não ser algo que acontece sempre, mas é mais comum do que a gente imagina.

Eu fiquei homesick nos primeiros meses do meu segundo ano como au pair e tenho amigas que se sentiram do mesmo modo.

Após decidir ficar mais 9 meses, vim para o Brasil e fiquei as duas semanas de férias por aqui, matando a saudade da família e dos amigos.

Ao voltar para os EUA aproveitei meus últimos meses com os amigos e com a host family e então chegou a hora de ir para uma outra host family, em um outro estado, do outro lado do país (como já contei em http://www.aupairis.com/ficar-ou-nao-ficar-mais-um-ano-mudar-ou-nao-de-familia/).

Chegando na nova família, passei algumas semanas com uma amiga que era au pair da família que eu iria morar e isso foi ótimo. Nem sentia as semanas passarem. O problema foi quando ela foi embora.

Os únicos pensamentos que vinham na minha cabeça eram que eu tinha me mudado de um lugar que gostava, onde tinha amigos e me dava muito bem com a família para um lugar estranho, onde teria que começar tudo de novo. Pensava que estava indo morar com uma outra família e que essa família não era a minha. Fiquei meio depressiva no começo. Não queria fazer amigos, pois não queria ter que deixá-los, como havia feito anteriormente. Separações podem ser bastante dolorosas.

Fiz uma amiga apenas e no começo isso pra mim foi o suficiente. Não saía muito de casa. Passava a maior parte do meu tempo livre no meu quarto, lendo ou no computador. Ficava bastante tempo também com a host family, que é uma ótima família. Recebia emails da counselor sobre novas au pairs na região mas não entrava em contato com elas.

Comecei então a perceber que esse não era um comportamento que estava me fazendo bem. Foi aí que conheci outras au pairs e comecei a sair mais. Inscrevi-me num curso de italiano e adorava as aulas. Comecei a aproveitar meus finais de semana para conhecer novos lugares. Conheci muita gente nova e isso fez com que o meu segundo desse uma guinada. Os meses seguintes passaram voando. Aproveitei muito! E quando vi, já era hora, mais uma vez da separação. Dessa vez lidei melhor com a situação, já que estava indo de volta pra casa, com a minha família e amigos.

Mas fica a dica: caso você se veja nessa situação, o melhor que tem a fazer é sair de casa, fazer amigos e aproveitar bastante a vida. Não adianta nada ficar deprê, trancada no quarto. Como minha counselor me disse, temos que encarar as coisas novas e entender que o passado ficou pra trás. Temos que viver o agora da melhor forma, porque depois ainda olharemos para trás e sentiremos saudades. Aliás, saudades é um sentimento que estará sempre presente na vida de quem fez essa escolha de “sair de casa”.

2 comments

15 nov 2009

Saudade é a memoria do coração

Categoria: Au Pair is...

Por:

E a Homesick? O que é?

Primeiro é um sentimento que, quando no BRasil, você já ouviu falar. Sabe que vai sentir (ou pensa que não vai) e não imagina quanto dolorido é na “vida real”.
Por mais que você já more sozinha no Brasil, ou que seja independente dos seus pais esta dor vai incomodar muito pelo menos nos 3 primeiros meses. É esse o sentimento que faz você pensar em desistir de tudo, de repensar se fez a escolha certa, chorar, pensar que não vai se adaptar e ver defeito em tudo na sua host family.
Mas adivinhe só? Depois de 3 meses você ainda vai sentir homesick, mas em uma proporção muito, MUITO pequena. Quem volta pro Brasil por causa de homesick se arrepende. Ou seja, o melhor ;e saber encarar essa fase.
Coisas que ajudam’são se relacionar o mais rápido possivel com as au pairs do seu cluster. Porque quando você sai de casa, conhece os lugares, vê coisas maravilhosas você se lembra o motivo de ter deixado sua casa.
Não fique ligando pra familia chorando e parecendo infeliz. Ligue pra familia pra matar a saudade, pra ver sua mãe no skype e dar aquele “abraço”imaginario!
Quando estamos aqui percebemos que nossa familia, por mais torta e maluca que seja, por mais que você brigue com ela, eles são os únicos no mundo que nos amam exatamente do jeito que nós somos. Você deixou tudo no Basil. TUDO e vai doer no seu coração quebrar esse vinculo. MAs existem duas coisas no mundo: as que valem a pena e as que não valem. Estar aqui vale muito mais do que eu poderia imaginar. HOmesick passa, as memorias que voce faz/fará aqui não!

No comments