4 mar 2011

Minha entrevista para o visto

Categoria: Au Pair is..., Medo

Por:

Fui Au Pair de 2005 a 2007 e acredito que, de lá pra cá, algumas coisas mudaram.

Quando fiz a entrevista, tive que preencher o DS-156 ao invés do DS-160. E isso era feito à mão, e não online. Mas acho que a entrevista em si não deve ter mudado muito.

Cheguei ao consulado em SP munida de uma pasta com todos os documentos possíveis e imagináveis: escritura da casa dos meus pais, documento dos carros, extrato bancário, holerite dos meus pais, carta da minha empregadora na época afirmando que, quando voltasse, trabalharia com ela novamente e tudo o mais que achasse necessário. Como ainda não fazia faculdade, não levei nada comprovando que estudava.

Cheguei com alguma antecedência e logo já entramos no consulado. Foi um bom tempo esperando até chegar minha vez. Como estava com uma amiga, que também seria Au Pair, ficamos ensaiando o que falar, tentando ouvir como era a entrevista com as outras pessoas, prestando atenção aos vistos que eram concedidos ou negados e tentando adivinhar quais dos cônsules eram os mais legais.

vistoQuando chegou minha vez, confesso que estava nervosa. Mas foi tudo muito tranquilo. Primeiro a consulesa me perguntou por que eu queria o visto (em português). Expliquei que estava indo como Au Pair pois queria aprimorar meu inglês e ter a experiência de viver fora do país por um tempo. Depois, ainda em português, me perguntou o que eu estava fazendo no Brasil. Expliquei que, como havia me formado no Ensino Médio a alguns meses, estava apenas trabalhando em uma escola de idiomas, ensinando inglês para iniciantes e intermediários. A partir daí minha entrevista foi apenas em inglês. Ela me perguntou o que meus pais faziam. Depois me perguntou um pouco sobre a Host Family (coisas básicas como o lugar que morar, idade das crianças e no que trabalham). E pronto! Meu visto foi concedido. Não me pediram nenhum documento que não fosse meu passaporte e os formulários necessários. Eu fique tão espantada com a simplicidade que ainda soltei um “That´s it?”. A moça riu e me disse pra ir até o último guichê pagar a taxa.

Mais ou menos uma semana depois, recebi meu passaporte com meu visto estampado nele!

1 comment

4 mar 2011

Agendando o visto

Categoria: Au Pair is..., Viagens e Passeios

Por:

Como disse em um post anterior, estou me programando pra ir aos EUA, mas como turista dessa vez. Mesmo assim, estou passando por alguns (poucos) processos semelhantes ao de Au Pair.

Dessa vez foi o agendamento do visto.

Para fazê-lo, é preciso entra nesse site: https://www.visto-eua.com.br/agendamento-web/index.jsp com o número do seu passaporte em mãos. Logo que entrar, terá que preencher algumas informações básicas, como endereço, telefone… Depois, terá que comprar uma senha, para que então possa agendar um horário. Para comprar essa senha, você precisa pagar uma taxa de R$38, usando cartão de crédito, débito ou boleto bancário que deve ser pago no Citibank.

Como paguei com cartão de crédito, na mesma hora já tive acesso à senha e pude seguir o agendamento. Preenchi mais algumas informações, como o tipo de visto que iria solicitar, se era a primeira vez que solicitava um visto, se já havia solicitado e me negaram o visto e coisas assim.

Como o meu é pra turismo (do tipo B), no consulado em São Paulo só havia data pra daqui a mais de 90 dias. Para o visto de Au Pair (J-1), conforme me informaram na Experimento, em aproximadamente um mês há horários disponíveis.

Tenha certeza da data em que vai marcar seu visto já que, se por algum motivo você tiver que cancelar ou reagendar, terá que pagar R$38 novamente pra conseguir uma senha e passar pelo processo novamente.

Uma vez agendado, solicita-se que imprima as informações de agendamento, que vem junto com algumas outras informações, como:

– não é permitida a entrada no consulado com os seguintes itens: telefones celulares, máquinas fotográficas ou câmeras de vídeo, arma, equipamentos eletrônicos etc. Antes havia um lugar onde se podia guardar alguns itens. Agora, segundo informações da própria embaixada, em SP, não há mais esse serviço.

– Documentação exigida: documentos que demonstrem fortes vínculos com o país de residência, fundos suficientes para cobrir despesas da viagem e intenção de deixar o país após sua estadia (ex: carteira de trabalho, declaração de imposto de renda, contracheques, extratos bancários, documento de carro, declaração da escola etc). Além disso, documentos específicos ao visto que está sendo solicitado. No caso da Au Pair, seria o DS-2019. Também, é necessário apresentar o passaporte válido por pelo menos 6 meses a partir da data da viagem e a página de Confirmação do Formulário de Solicitação de Visto de não-imigrante DS-160 com código de barras e a foto eletrônica.

-O serviço de entrega expressa (para enviar o passaporte com o visto) requer uma taxa que será cobrada de acordo com a cidade de residência do solicitante.Estas taxas devem ser pagas imediatamente após o término da entrevista de visto, caso o mesmo seja aprovado, e devem ser pagas em espécie.Em Brasilia tambem é aceito pagamento em cheque.

Além dessas, há outras informações que devem ser lidas com atenção.

Pelo menos dois dias antes da data da sua entrevista, você deve preencher o DS-160, com seu DS-2019 em mãos, que pode ser feito online. Você também deverá enviar uma foto 5×7 com fundo branco. Na página do DS-160, há a opção de testar a foto.

Também, antes de ir à sua entrevista, você deve pagar a taxa de solicitação do visto. Para vistos do tipo B, C, D,F, I, J e M o valor é de U$140, que deve ser pago em uma agência do Citibank, no valor equivalente em Reais. Para pagar a taxa, é preciso levar uma cópia ou o passaporte original do solicitante. Essa taxa é não-reembonsável. Como você deverá levar o recibo original do pagamento dessa taxa, programe-se para pagar pelo menos um dia antes da data da entrevista.

É recomendável chegar ao consulado com aproximadamente 30 minutos de antecedência.

Depois de preparar tudo isso, com os documentos em mãos, é só comparecer ao consulado. A orientação é que você vista-se com roupas mais sérias e que vá arrumada, pra causar boa impressão hehe. E fique calma: a entrevista não é nenhum bicho de sete cabeças.

1 comment

25 fev 2011

Não deixe para a última hora

Categoria: Dicas, Viagens e Passeios

Por:

Estou planejando uma viagem em julho, a passeio, pros EUA e mês passado já comecei a ir atrás das coisas. E aqui vai um aviso: não bobeiem pra tirar o passaporte.

Agora tem que agendar um horário da Polícia Federal pra conseguir tirar o passaporte e, na maioria das cidades onde a PF faz isso, os horários disponíveis não são para tão logo ou simplesmente não existem mais.

Sou de São José dos Campos e aqui já não tinha nenhum horário, nem pra perto nem pra longe. Acabei tendo que ir até Guarulhos. E mesmo assim, só consegui marcar pra um mês depois da data em que fiz a solicitação.

O bom é que, por ser agendando, o atendimento é bem rápido. E em 6 dias úteis o passaporte fica pronto. Mas só o dono do passaporte pode pegá-lo na PF. Ou seja, semana que vem terei que voltar lá.

É, eu sei que ainda tem alguns meses até julho, porém o que pega é que pra marcar a data do visto, eu preciso ter o passaporte (já que o número desse novo não será o mesmo que o meu anterior). E no consulado dos EUA em São Paulo está levando, em média, 90 dias pra se conseguir marcar uma data. Sendo assim, não tem como deixar pra última hora.

Então meninas, quem pretende ir nos próximos meses e ainda não tem passaporte, é bom começar a providenciá-lo. E além disso, há notícias por aí dizendo que o passaporte passará a custar R$190 ao invés dos pouco mais de R$156, porém nada oficial ainda.

E pra quem não lembra, aqui há informações de como fazer pra consegui-lo.

4 comments

20 set 2010

O Medo da Entrevista do Visto

Categoria: Au Pair is..., Medo

Por:

Quem não tem? Não por nada, mas nos preparamos para a realização de um sonho por vários meses e aquele ser supremo sobre o qual existem muitas lendas e mitos, conhecido popularmente como cônsul americano, é o único que tem o dom de tornar nosso sonho realidade concreta, ou despedaçá-lo a sangue frio em muitos milhares de pedacinhos que nós, ao prantos, ajuntaremos um a um e tentaremos reconstruir.

Depois desta linda introdução, vamos aos fatos.

GetAttachmentttt

Já ouvi muita coisa a respeito dos cônsules, e para ser franca, acredito que a maioria não seja verdade. Dizem que tem uma morena que nega visto pra todo mundo. Parece que tem um alto e magro que é um grosso, e também nega visto pra todo mundo. Dizem que eles fazem curso de linguagem corporal, pra saber quando você mente. Dizem que eles só concedem um determinado número de vistos por dia. E tenho certeza que existem muito mais desses “dizem por aí” na internet e no mundo dos blogs de au pair.

O que eu posso afirmar com certeza, são os fatos referentes à minha experiência.

Eu já fiz 3 entrevistas para obtenção de vistos (sempre o J1 e todas em São Paulo), que foram concedidos em todas elas. Sempre fui tratada com respeito, gentileza e simpatia. Minha primeira entrevista (para um programa de trabalho) foi em português e inglês (50/50), nas outras duas (para o au pair) a primeira pergunta foi “Do you speak English?” e como a resposta foi “Yes” a entrevista toda foi em inglês. As perguntas sempre foram simples: pra onde eu iria, o que faria, por quanto tempo, e porquê. Também perguntavam se eu estudava, o que estudava, com que trabalhava… O cônsul entrevistador sempre falava alguma coisa sobre o estado para o qual eu iria, normalmente me diziam o que encontraria por lá, ou seja, um pouquinho de conversa fiada enquanto ele assinava as coisas que precisavam ser assinadas. Eu sempre levava um monte de documentos extras, e nunca pediram pra ver nada. O que não significa que você deva deixá-los em casa.

Nunca consegui ficar muito tranqüila nestas entrevistas, apesar de todo mundo me falar pra relaxar. O cara tem o poder de negar o visto que eu quero muito, não tem como ficar tranqüila até ele ser concedido. O problema é que o nervosismo pode te atrapalhar no inglês, caso você não esteja 100% segura. E dependendo do seu nível de inglês, vale mais a penas fazer a entrevista em inglês, porque o português deles é meio enferrujado, porém, compreensível.

Se alguma coisa sair meio errada, procure manter o foco (e a calma). Quando eu fiz a entrevista para o primeiro visto de au pair, muittas coisas deram errado, e mesmo assim meu visto foi concedido. Naquele dia, eu acordei as 4h30, sai de casa as 5h20 e dirigi 1 hora até Blumenau pra pegar o ônibus a Navegantes que a Gol oferece aos passageiros. Cheguei ao aeroporto 7h30. Meu vôo estava marcado para as 8h35, mas não pude embarcar porque a aeronave não estava em Blumenau, ela ainda estava em São Paulo em virtude de problemas meteorológicos.

Eu deveria estar no Consulado as 10h30, a minha entrevista era as 11h, e aí eu me dei conta de que não chegaria lá a tempo. Pedi pra Gol fazer uma declaração para justificar o meu atraso ao Consulado, e adivinhem só??? Eles disseram que não tinham autorização pra fazer a declaração. Então fiz mil ligações pra tentar fazer com que eles fizeram a declaração pra mim. O Rodrigo (da agência) também ligou pra eles (e ele estava mais bravo que eu), e finalmente consegui a declaração.

Finalmente, as 10h30 a Gol colocou todos os passageiros em um ônibus pra Florianópolis, onde poderíamos embarcar pra São Paulo. O avião decolou as 13h e eu cheguei em São Paulo as 14h. Então peguei um táxi pro Consulado e em 20 minutos eu estava lá.  Agora eu só tinha que convencer o pessoal do Consulado de o que atraso não foi minha culpa e tentar conseguir a entrevista ainda naquele dia.

Assim que cheguei, falei com o segurança que fica no portão, expliquei tudo pra ele, mostrei a declaração da Gol, e ele foi falar com alguém pra me deixar entrar. Depois falei com uma mocinha bem simpática e quando ela disse “vou falar com meu supervisor” percebi que eu ainda podia ter esperanças, e ela voltou com boas notícias, eles iriam me entrevistar.

Acho que a principal razão pela qual nós sentimos medo, é o medo de receber um não e ver todo nosso trabalho duro indo por água abaixo. É compreensível, mas não tem outro jeito, temos que enfrentar as feras.

14 comments

13 jun 2010

Novo passaporte

Categoria: Viagens e Passeios

Por:

Há alguns meses publiquei um post sobre como e o que fazer para tirar o passaporte.

De lá para cá algumas mudanças aconteceram. Atualmente, todos os passaportes emitidos no Brasil já são os novos (de cor azul). Esse novo passaporte já foi inserido em algumas cidades do país a algum tempo, porém em algumas localidades o verde-oliva ainda estava sendo emitido.

O passaporte azul tem o mesmo prazo de validade do antigo (5 anos). Quem tem o antigo ainda dentro da data depassaportevalidade não precisa tirar o novo passaporte (a não ser que a data de expiração dele seja antes do final de sua viagem).

Ele mudou de cor para se enquadrar no padrão do Mercosul e agora possui 16 itens extras de segurança.

A taxa é de R$156,07 e o agendamento pela internet, no prórprio site da Polícia Federal, agora é obrigatório.

Fora isso, os outros procedimentos continuam os mesmo do post já citado aqui no começo.

4 comments