5 mai 2016

Decidi ser Au Pair

Categoria: Au Pair is...

Por:

Despois de muito pensar, repensar, deixar a idéia de ser Au Pair de lado me deparei com uma situação…. Eu já estava com 25 anos e seria  a minha última chance de poder fazer parte desse programa.

Tomar a decisão de me tornar Au Pair foi algo que demorou muito tempo, pois eu já tinha um trabalho bom que eu gostava mas não amava, tinha minhas contas para pagar no Brasil (carro, MBA…) e fora que eu tenho namorado. Não é namoradinho de meses e sim de muitos anos, desde de 2007.

Me lembro o dia que eu peguei o carro, dirigi até a Experimento e fiquei por horas dentro do carro, eu não conseguia sair. Peguei o carro e fui embora, não me senti preparada. Depois de uns dois meses eu voltei, assinei os papéis, e ai as coisas começaram a acontecer.  Mas por que eu demorei para me decidir, mesmo sabendo que seria minhas última chance?

Eu não me senti segura, e eu precisava acertar alguns detalhes com meu namorado, aliás que pessoa seria eu de não pensar no meu amor e alinhar com ele os meus objetivos? Hesitar de fazer algo porque possui um namorado não é algo ruim ou motivo de reprovação, ainda mais se vocês tem planos para continuar a vida ao lado dele, que é o meu caso. Depois de alinhado as coisas começaram a fluir.

11154845_1191670914184259_2306652012528951889_o

namorada e namorado <3 Central Park

 O processo é muito rápido se você se dedicar e preencher os documentos necessário. Posso dizer por alto que em 2 meses você fecha com uma família.  Comigo não me recordo quanto tempo durou o processo todo até o match mas foi muito rápido, o que “demorou” foi tirar o visto, pois você precisa agendar mediante disponibilidade, e eu ter feito o aviso prévio para dispensa do trabalho. Tive a sensação que foi uma eternidade.

Sei que cada um reage de um jeito, mas nos dias próximos de embarcar e no próprio dia eu me senti muito triste e feliz ao mesmo tempo. Você sente que está abandonando todo mundo, mas na verdade você não está não. É claro que você vai passear, se divertir, estudar… mas a grande diferença é que ao contrário de outros intercâmbios, você  precisa ter muita responsabilidade e pé no chão pois você não está vindo para passear, não se esqueça disso, esse não é o foco do programa. Você está vindo para trabalhar, cuidar de vidas, vidas essas que são muito preciosas. Você está indo em busca de algo para você, a experiência de caminhar com os próprios pés, a busca do crescimento pessoal. Posso dizer com toda a certeza que me redescobri.

 

 

 

 

 

12 comments

  1. Giovanna disse:

    Yasmin, bom dia!

    Tudo bom?!

    Como foi o seu processo para conseguir as horas com as kids?
    E aproveito e te desejo muito sorte nessa nova jornada.

    Bjs

    • Yasmin Marco disse:

      Oiii Giovanna, tudo bem?

      Eu trabalhei em um acampamento sendo monitora de kids, e cuidei de um sobrinho da minha amiga tb.
      Vc pode trabalhar sem ser para uma empresa, mas o responsavel pela kid que vc cuidou precisa preencher os docs.
      Minhas horas n foram muitas, mas o necessario para entrar no programa.

      ps: O pessoal da APIA costuma averiguar as horas depois, para ver se procede.

      Bjs

  2. Raquel disse:

    Parece que estou lendo minha historia aí… acabei de me formar, estou em um emprego legal e meu namorado me apoia, mas como é difícil descer do carro e entrar na agencia!!

  3. Ariane disse:

    Oi Yasmin tudo bem?
    Como você, eu vou ser uma au pair mais velhinha rs, estou no último momento, pra ser mais exata nos últimos meses para ser au pair e também tenho meu boy estamos juntos a mais de 10 anos, e gostaria de te acompanhar, você tem algum blog?, ou posso te add no face?
    Abraços

    • Yasmin Marco disse:

      Ola Ariane, tudo bem por ai?
      Pode me adicionar no face sim, posto bastante coisas no Instagram e no Snapchat tb. #yasminmarco
      Boa sorte pra vc.
      Aguardo seu contato.
      Beijos

  4. Nataly Mazzetto disse:

    Olá Yasmin
    Adoro seus posts e, me identifiquei muito com sua história.
    Também estou na minha ultima oportunidade, completo 26 logo logo.
    já sou formada e vou concluir minha segunda graduação no fim do ano, trabalho a 7 anos na mesma empresa e já estou pensando em como vou me desligar do trabalho, meu namorado esta me dando o maior apoio.
    Li esse seu post há umas duas semanas atrás, por curiosidade, antes já havia ido algumas duas ou três vezes à Experimento, mas ontem criei coragem e assinei o contrato.
    Sei que o processo é um pouquinho longo, to super feliz mas também muitooo ansiosa.
    Beijinhos.

    • Yasmin Marco disse:

      Olá Nataly!!!
      Fico super feliz por vc ter conseguido se desprender, é difícil mas faz parte da nossa evolução espiritual.
      Tente preencher os documentos necessários, ir ao medico, preencher seu perfil no site o mais rápido possível, o meu processo só demorou um pouco pois eu relaxei com relação a tomar as vacinas que eu precisava e ir ao médico.

      Boa sorteee!!!

  5. Gabryele disse:

    Caramba que bom ter lido isso!
    Passo por um dos seus “dilemas”, tenho 25 anos e ainda me sinto um pouco insegura, porém esse não é o mais difícil pra mim. Atualmente o meu maior medo é não dar tempo de encontrar uma família. Mas ler seu breve relato me deu uma forca a mais.
    Muito obrigada, e agora continuarei firme e forte pra fazer o nivelamento.
    Beijos

    • Yasmin Marco disse:

      Olá Gabryele!
      Vc vai encontrar uma família, tenho certeza. No primeiro dia que eu estava com o meu perfil online eu já recebi uma solicitação, e no Segundo dia mais dois… as coisas vão acontecendo, e muiiiito rápido.

      Boa sorte!!!
      Se você tiver alguma perguntar para fazer, manda aqui que eu faço um post para explanar melhor.
      Beijo

  6. Larissa disse:

    Olá, Yasmin! Estou praticamente no mesmo barco que você rs. Tenho quase 25 anos, sou formada em Ciências Contábeis, trabalho nesse ramo há 6 anos, faço inglês há 5 anos, tenho um boy há 6 anos e estou noiva dele (noivamos no mês passado rs) e anseio em ir para o exterior. É de verdade o meu maior sonho. Gosto muito de crianças, porém sou um pouco tímida a primeira vista, principalmente no caso de conviver com uma família americana (ter que falar em inglês no dia-a-dia e tal… Acho meu inglês muito ruim rs)… Tenho medo de não gostarem de mim por esse fato. Gostaria de saber como você e seu namorado estão lidando com essa situação e como foi com você os primeiros dias do programa com a família :) Abraços…

    • Yasmin Marco disse:

      Olá Larissa, tudo bem?
      Eu fiz um acordo com o meu namorado, que eu iria começar o programa e depois de mais ou menos dois meses ele viria para os EUA, e foi o que aconteceu.
      Quando eu cheguei aqui achava meu inglês muito ruim, e ainda não acho que eles esteja bom o suficiente. Cada dia você aprende algo, e as famílias que estão nesse programa normalmente são mais maleáveis quanto ao inglês e muitas vezes as kids são super compreensivas.
      O primeiro mês foi o mais difícil e engana-se quem fala que não vai sentir falta, não somente dos amigos e da família, mas falta do seu espaço, da sua privacidade, autonomia e etc.
      A família foi super bacana comigo e já na primeira semana já pude perceber que não seria fácil. Toda a experiência tem sido muito boa e produtiva, muita novidade e auto conhecimento.

Leave your Commnet!